Pages Navigation Menu

Repensando a infância de nossos filhos

Repensando a infância de nossos filhos

Num dia destes parei para recordar de como era bom pular amarelinha, brincar de esconde-esconde e descer a lomba em um carrinho de rolimã. Na rua onde eu morava, estas eram as brincadeiras preferidas da criançada. Quando vejo a geração atual noto muitas diferenças entre a infância de 1980 e 2000.  Hoje o computador divide o tempo de lazer com o videogame e a televisão. Também me espanto ao lembrar do tipo de alimentação tinha, almoças e jantas em família, diferente dos fastfoods e as comidas congeladas que estão presentes em todos os lares de hoje. Não é a toa que os jornais noticiam que a população está cada vez mais vulnerável a doenças relacionadas a problemas com o peso.

A correria do nosso dia-a-dia é um dos causadores dessa mudança de comportamento da sociedade. Não dedicamos mais nosso tempo para termos uma alimentação saudável e uma vida equilibrada. “O ato de se alimentar era sagrado, reunia familiares para confraternização e não para discutir problemas do dia-a-dia. As refeições eram saborosas e não precisavam de aditivos químicos, edulcorantes e conservantes”, afirma a nutricionista da MIDALisiane Guimarães.

Segundo ela, é necessário que o cuidado com a alimentação venha desde a gestação, para que a criança tenha hábitos saudáveis: “Quando a criança nasce é importante o aleitamento materno exclusivo até seis meses, e a partir dessa data a inclusão de novos alimentos, denominados complementares. Nessa fase é importante separar os alimentos e não misturar ou triturar, para a criança ter conhecimento de cada alimento”, explica.

A geração de hoje conta com os avanços da ciência e tecnologia, que embora tragam evolução a sociedade, ocuparam um espaço que anteriormente era dedicado a atividades físicas. O sedentarismo tornou-se é uma realidade na vida de nossos filhos. Mas o que podemos fazemos para promover as atividades físicas?

Entre as mudanças entre as décadas de 1980 e 2000 é a falta de segurança, uma das características desta nova sociedade. Este é um motivo para que proibamos as crianças de brincarem nas ruas, desta forma a tecnologia tornou-se mais atrativa do que as brincadeiras praticadas antigamente. “Esta tendência de inatividade física e alimentação inadequada, somada ao “boom” da informática, serviu para criar uma geração de crianças e adolescentes com problemas de saúde que até então eram apenas verificados em adultos”, afirma o personal trainer da MIDA, Rafael Schumacher.

É importante mudar drástica o comportamento das crianças para evitar possíveis problemas de saúde decorrentes de hábitos de vida inadequados ou minimizar suas consequências. “Claro que as atividades no computador também são de grande importância no contexto de qualquer criança já que estamos inseridos nisto, mas é fundamental que haja uma dosagem adequada de cada atividade, para que as crianças possam usufruir as coisas boas tanto do computador quanto das brincadeiras livres. O segredo para uma infância prazerosa e sadia é esta mescla de atividades”, acredita Schumacher. É importante todos tenham a consciência de que bons hábitos na infância é um grande passo para uma vida saudável.

 

Dicas para uma infância mais saudável

 

Prefira

Evite

Biscoito doce sem recheioPicolés de fruta

Sanduíches

Chocolate Amargo

Suco de fruta

Macarrão a bolonhesa

Bolo de cenoura com cobertura de chocolate

 

Brincadeiras lúdicas como:

-Perna de pau

-Jogar bolita

-Jogar taco

-Pular corda

-Pular amarelinha

-Jogar pião

-Brincar de roda

-Brincar de pegar

-Brincar de esconde-esconde

-Brincar de cabra cega

-Andar de bicicleta

Biscoitos recheadosPicolés cremosos

Hambúrguer

Chocolate ao leite

Refrigerante

Massa quatro queijos

Nega maluca

 

O uso excessivo:

-Computadores

-Jogos on-line

-Vídeo-game

-Televisão

-Atividades dirigidas

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum Comentário

Trackbacks/Pingbacks

  1. Projeto MIDA nas Escolas | MIDA - Gestão em Saúde - Porto Alegre - [...] disso, a reduzida atividade físicas dos jovens somada a configurações posturais nem sempre adequadas, tanto em casa como na…

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *